jusbrasil.com.br
16 de Junho de 2021
    Adicione tópicos

    Procuro Advogado/Contador

    Financiamento Habitacional em Salvador/BA

    Publicado por Leonardo Santos
    ano passado

    Possuo um financiamento habitacional junto a Caixa Econômica Federal, porém o saldo devedor não bate com o que já foi pago. Financiei RS 104.000, minha parcela é de 780, desse valor no boleto informa que a amortização é RS 313, e o juros 467. Meu saldo devedor hoje é 95.000,00, já paguei 66 parcelas, se eu multiplicar 313 x 66 da 20.658,00, subtraindo dos 104.000,00 financiado meu saldo devedor deveria ser de 83,342,00. Antes da pandemia meu saldo devedor era por volta de 93.000,00 solicitei a pausa emergencial e hoje o meu saldo devedor aumentou para 95.000,00. Enfim, já paguei mais de 45.000,00 em parcelas e só abateu 9 mil da dívida, questionei a caixa e me disseram que estava correto. Solicito alguém interessado em entrar com uma causa, quero apenas pagar o que me é devido e não juros abusivos como é o caso pelo meu pouco entendimento e cálculo feito a grosso modo.

    2 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

    A minha recomendação é você liquidar valores EXTRAS aleatórios todos os meses para ABATER o SALDO DEVEDOR o mais rápido possível, além da sua parcela mensal, pois no financiamento você liquida, na parcela, cerca de 30% o valor financiado e o restante cerca de 70% são de juros, tx de administração e seguro de vida e contra danos ao imóvel.
    Quando você liquida parcelas ANTECIPADAS do saldo devedor, estará liquidando parte do débito financiado, só que sem os juros futuros, sem a taxa de administração e sem o seguro. Procure no YouTube vídeos que explicam "Como Liquidar um financiamento imobiliário de 30 anos em 3 anos". Boa sorte. continuar lendo

    Leonardo, não sou das exatas , mas acredito que o equívoco do teu cálculo está no fato de que você está considerando R$ 313,00 desde o início do contrato. Ocorre que a maioria dos contratos da CEF usam o SAC (sistema de amortização constante) o que faz com que a amortização vá aumentando com o passar do tempo . Já com relação a pausa emergencial acredito que irão ter demandas judiciais, uma vez que eles pegaram o valor da parcela com os juros e jogaram sobre o saldo devedor e calcularam mais juros (os juros contratuais) portanto neste caso há os juros sob juros também chamados de anatocismo, mas já existem decisões das cortes superiores relativizando essa prática . continuar lendo